sábado, 26 de abril de 2014

Ganesha - Removendo os obstáculos






Filho de Shiva e Parvati, é o Deus do conhecimento, aquele que remove os obstáculos das vidas material e espiritual. 
Tradicionalmente invocado no início das cerimônias e principalmente no início de qualquer empreendimento: um novo negócio, um novo casamento e um novo ano.

Ganesha é o protetor de tudo o que possa ser considerado auspicioso. Sua cabeça de elefante indica sua capacidade intelectual e a firme dedicação ao estudo das Escrituras.

As grandes orelhas indicam que esse conhecimento é para ser escutado através de um Mestre. 

A tromba indica sua capacidade discriminativa - Vivekashakti - porque com ela o elefante tanto colhe uma flor como derruba e carrega consigo uma árvore. 

Sua grande barriga mostra sua capacidade prodigiosa de "digerir" as situações, sejam elas auspeciosas ou não. 

Com sua machadinha, decepa os apegos aos objetos dos sentidos e, com o laço, prende a atenção dos seus devotos na verdade.

O doce em sua mão representa a satisfação e a plenitude advinda do caminho da disciplina e da Verdade. 

Aos seus pés há um ratinho. Mesmo sendo um animal muito voraz - "frequentemente rouba mais do que pode comer e estoca mais do que consegue levar" -, o rato contempla a Imensa Presença do Glorioso Senhor da Cabeça de Elefante. Esse rato é o ego e seus desejos. Ele não avança mais sobre os objetos ao seu redor porque adquiriu a visão de uma realidade mais elevada.

O mantra de Ganesha é Om Gam Ganapataye Namaha! (Saúdo o senhor Ganapati!) Ganapati é um dos nomes de Ganesha.

Dia 01 de setembro, é comemorado o o aniversário de Lord Ganesha - o Ganesh Chaturthi - que é um importante festival de Maharashtra, comemorado grandiosamente em outras partes da Índia também. 

Este dia é comemorado com uma crença muito forte de que Lord Ganesha, concede suas bênçãos a seus devotos neste dia , e uma forma muito eficaz de nos conectarmos com a força de Ganesha, é proferindo o seu mantra, que é extremamente eficaz .












quinta-feira, 17 de abril de 2014

Pensamentos




Só existem dois dias no ano que nada pode ser feito. Um se chama ontem e o outro se chama amanhã, portanto hoje é o dia certo para amar, acreditar, fazer e principalmente viver.
         Dalai Lama


Quem controla os seus sentidos concentrando-se em Mim pode ser considerado um homem de mente estável.
           Bhagavad Gita



Não acredite em algo simplesmente porque ouviu. 
Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito. Não acredite em algo simplesmente porque esta escrito em seus livros religiosos. 
Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade. 
Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração. 
Mas depois de muita análise e observação, se você vê que algo concorda com a razão, e que conduz ao bem e beneficio de todos, aceite-o e viva-o.               
 Buda


A melhor coisa que você pode fazer 
para cultivar a verdadeira sabedoria 
é praticar a consciência 
de que o mundo é um sonho.
      Paramahansa Yogananda   



O poder infinito de Deus não está na
tempestade, mas na brisa.
   Rabindranath Tagore

quarta-feira, 24 de julho de 2013

Guru Purnima - O Dia do Mestre




O Guru Purnima, o Dia do Mestre, cai no dia de lua cheia do mês de julho. Esse é o dia do nascimento do grande sábio Maharshi Vyasa, autor do Mahabharata (que inclui a Bhagavad Gita), do Bhagavatan, dos Brahmasutras, dos dezoito Puranas e editor dos Vedas. 

No dia de lua cheia, há luz de dia e de noite, simbolizando o conhecimento ou a iluminação. Assim como a luz dissipa as trevas, da mesma forma, a ignorância desaparece com o conhecimento. O autoconhecimento é a luz que nos liberta do sofrimento de andar às cegas e da infelicidade da vida.


Por muitas centenas de anos, na Índia, o povo tem celebrado o Guru Purnima. Este é um dia dedicado ao guru-preceptor, que dedicou a sua vida à evolução espiritual dos seus filhos discípulos. Neste dia, os discípulos vão até o guru-preceptor e exprimem a sua gratidão com amor e devoção por ele lhes ter concedido a graça do mestre e os seus ensinamentos.

O guru-preceptor é considerado mãe e pai ao mesmo tempo, porque o guru é o instrumento para o renascimento espiritual (dvija) da pessoa. A iniciação é o renascimento e a orientação e as instruções práticas do guru são os alimentos divinos para a nossa vida espiritual.

sábado, 8 de dezembro de 2012

Lahiri Mahasaya

Shyama Charan Lahiri (30 de setembro de 1828 — 26 de setembro de 1895) foi um grande iogue indiano e o guru de Sri Yukteswar Giri. Mahasaya é um título religioso em sânscrito que significa 'grande alma'.

Ele destacou-se entre os homens indianos sagrados por ter sido um chefe de família. 

Lahiri viveu com sua família em Varanasi, ao invés de morar num templo ou monastério distante da vida familiar. Mesmo assim, alcançou uma reputação substancial entre os religiosos do século XIX.

Paramahansa Yogananda conta muitas histórias sobre Lahiri Mahasaya em seu livro Autobiografia de um Iogue. 

Ele foi um funcionário de escritório até cerca dos trinta anos de idade, quando conheceu seu guru, Mahavatar Babaji. Lahiri foi escolhido por seu lendário guru para reintroduzir a prática perdida da Kriya Yoga para o mundo moderno. 

Os discípulos de Lahiri incluem os pais de Yogananada e seu próprio guru, Sri Yukteswar. Lahiri Mahasaya profetizou que o jovem Yogananda seria um grande yogue.


Ensinamentos

A prática espiritual central que ele ensinou aos seus discípulos foi a Kriya Yoga, uma série de práticas interiores de pranayama que prontamente agilizam o crescimento espiritual do praticante. 

Ele ensinou esta técnica a todos os interessados sinceros, independentemente de sua bagagem religiosa. 

Com relação à Kriya Yoga, ele disse:

"Sempre se lembre de que você não pertence a ninguém e ninguém lhe pertence. Reflita que algum dia você terá que, de repente, abandonar a tudo neste mundo. Assim, trave agora conhecimento com Deus.

Prepare-se agora para a futura viagem astral da morte viajando diariamente no balão da percepção de Deus. Pela ilusão você se percebe como um amontoado de carne e ossos, que, na melhor hipótese, é um ninho de problemas. 

Medite incessantemente que você possa rapidamente se saber sendo a Essência Infinita, livre de qualquer forma de miséria. Deixe de ser prisioneiro do corpo. Usando a chave secreta da Krya, aprenda a fugir para o Espírito."

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

BHAGAVAN KRISHNA: O CRISTO DO ORIENTE




                                                             

        Muitas são as histórias maravilhosas contadas sobre Jadava Krishna, o grande avatar e divino rei, que governou sobre Gujarat na antiga India.
Krishna veio à terra muito mais cedo que Jesus Cristo - mais ou menos três mil anos antes, conforme afirmam alguns eruditos - mas eles eram unos em espírito, ambos tendo atingido a Consciência Crística, ou unidade com a onipresença de Deus imanente em cada átomo da criação. 

Deste modo, eles podiam projetar suas consciências em cada ponto do cosmos, estando conscientes para ajudarem todos que estavam fisicamente longe deles.

Mas além da grande concomitância espiritual demonstrada em suas vidas, havia entre eles também muitas similaridades pessoais.

Ambos nasceram de pais fervorosos à Deus. A mãe de Krishna e seu pai foram perseguidos por seu perverso tio, o rei Kansa, assim como o rei Herodes atormentou os pais de Jesus.
Jesus foi comparado a um bom pastor de Deus; Krishna durante sua infância, escondendo-se de Kansa, cuidou de novilhas. 

Jesus venceu Satanás; Krishna venceu o demônio Kaliya. 

Satanás e Kaliya representam o mal, ou a ignorância de Deus. 

Jesus parou uma tempestade no oceano e salvou o barco de seus discípulos; Krishna impediu seus devotos e seus respectivos rebanhos de afogarem-se numa terrível inundação, levantando o monte Gowardhan sobre eles, como um guarda-chuva.

Jesus era chamado "Rei dos Judeus", embora seu reino não fosse deste mundo; Krishna era tanto rei terreno como divino. 

O destino de ambos foi profetizado nas escrituras, e ambos foram mortos por grupos desorientados:Krishna foi ferido mortalmente por uma flecha de um caçador, e Jesus foi crucificado por aqueles que ignoravam sua divindade. 

Estes dois avatares - ambos orientais - são comumente reconhecidos no oriente e ocidente como supremas encarnações de Deus.

Paramahansa Yogananda

quarta-feira, 9 de maio de 2012

Oração da noite





Na paz da noite eu te adoro.
Desvaneceu-se a luz solar que rebelava miríades de tentações mundanas. 


Uma a uma vou fechando as portas dos meus sentidos, para que nem a fragrância da rosa nem o canto do rouxinol possam desviar meu amor por Ti.


Como à noite eu Te adoro no recôndito e no silêncio. 
No santuário da obscuridade eu Te invoco, Bem-Aventurado! Bem-Amado!